Qual é a relação do Home care com a Telemedicina?

O home care é uma tendência que vem crescendo nos últimos anos, junto também a telemedicina.

Mais profissionais atendem e entram nessas áreas a cada ano, uma vez que é possível atender diversos de pacientes e ajuda-los em sua própria casa.

No caso da telemedicina, é focado 100% no auxílio à distância, não havendo a presença de um profissional da saúde, um pouco diferente do home care.

Em seguida, conheça um pouco mais sobre home care e após sobre a telemedicina, para entender a relação de ambas:

O que é home care?

O home care se trata da prestação de cuidados de saúde na casa do próprio paciente.

Normalmente é indicado por um médico para dar continuidade ao tratamento de forma mais confortável, uma vez que o hospital às vezes não traz todo o conforto que a casa da pessoa possui.

Assim, há uma equipe multidisciplinar que vai a casa do paciente realizar consultas, aplicar medicamento e exames.

Isto é, se trata de visitas de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas ou outros profissionais que se dedicam a uma reabilitação.

Os casos mais comuns são de pacientes crônicos ou que possuam alguma dificuldade para se locomover.

Além disso, caso seja necessário, é possível haver até uma “internação” domiciliar, onde é necessário equipamentos de suporte de vida e também monitoramento remoto na casa do paciente.

O caso de internação domiciliar ocorre quando os pacientes estão estáveis, mas precisam de cuidados contínuos.

Confira os principais tipos de serviços que os pacientes podem receber:

  • Internação: como dito anteriormente, é para pacientes estáveis, porém em condição de internação, onde é preciso uma estrutura para o paciente, com equipamentos de suporte à vida.
  • Atendimento: é como o atendimento ambulatorial, feito de consultas e também a administração de medicamentos necessário.
  • Monitoramento: esse serviço é de adaptação para pacientes que sofram de alguma doença crônica e necessitam de uma nova rotina, onde há visitas periódicas de profissionais da saúde.

Atualmente essa prestação de serviço é regulada pela resolução normativa 428 da Agência Nacional de Saúde Suplementar, e na resolução 1668/03 do Conselho Federal de Medicina. Nela, é possível ver quais especialidades compõem as equipes multidisciplinares e tipos de serviços que as empresas home care devem dispor.

Em resumo, se trata dessa prestação onde um ou mais profissionais da saúde vão a casa de pacientes, presencialmente, algumas vezes por semana, dependendo de cada caso.

Telemedicina

A telemedicina é a prática médica realizada à distância, isto é, não há um profissional da saúde atendendo diretamente um paciente.

A telemedicina iniciou em Israel, logo após tomando conta também dos Estados Unidos, Canadá e alguns países da Europa.

No Brasil, a telemedicina ainda não conta com um regulamento, sendo permitida apenas quando há um profissional da saúde junto ao paciente, em ligação ou vídeo-chamada com outro profissional.

É comum para segundas opiniões ou para buscar o tratamento ideal com especialistas e também para exames médicos.

Com a pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Saúde publicou a Portaria 467, que contém as diretrizes para ações de telemedicina, como por exemplo:

  • emissões de receitas médicas;
  • atestados;
  • teleconsultas.

Assim, é possível já começar a ver sua relação com o home care, que será explorado em seguida:

Telemedicina e home care

A telemedicina possibilita que um profissional da saúde, especialista ou não possa suprir uma demanda por laudos de exames que foram realizados em casa, através do home care.

Lembrando que os testes somente considerados simples podem ser feitos por enfermeiros, porém sempre interpretados por especialistas da área do exame.

Desse modo, é possível realizar os exames necessários com o home care e enviá-los para um médico especialista.

Assim como dito anteriormente, há uma equipe multidisciplinar que vai a casa do paciente realizar consultas, aplicar medicamento e exames, mas nem sempre as empresas de home care contam com todas especialidades.

Em casos como esse, é necessário a utilização da telemedicina.

Com ela é possível enviar imagens e os gráficos de testes, tendo o resultado em minutos, assinado e verificado por um médico especialista.

Ambas opções se complementam, atendendo diversos pacientes que necessitam de um laudo diariamente.

Exames que podem ser realizados em home care

Há alguns exames simples que podem ser realizados de forma remota por enfermeiros, graças a novos equipamentos que são alimentados pela bateria de notebooks, por exemplo.

Ou seja, é possível que alguns testes sejam realizados em diversos lugares, mesmo que não haja internet no local.

Os registros do exame ficam salvos no computador ou notebook, com objetivo de serem compartilhados em portais de telemedicina quando possível.

Caso a casa conte com Internet, é possível também enviar de forma rápida após a realização do exame.

Em seguida, confira as opções de exames que podem ser realizados em home care:

Eletrocardiograma

O eletrocardiograma, também chamado de ECG, monitora a frequência e condução dos batimentos cardíacos.

Esses impulsos que são emitidos pelo coração são captados por eletrodos, que são conectados ao tórax do paciente home care.

É um principal exame de rotina para pacientes com problemas cardíacos em home care, sendo muito utilizado nessa prestação de serviços para averiguar a saúde do paciente.

Eletroencefalograma

Outra opção de exame comum é o eletroencefalograma (também chamado de EEG), que é utilizado para monitorar a atividade elétrica cerebral.

Os eletrodos, nesse caso, são fixados em pontos do couro cabeludo do paciente, para verificar a situação da pessoa e também diagnosticar males neurológicos.

O eletroencefalograma também é utilizado para diagnosticar males da consciência, sendo outra opção comum de exame que pode ser realizado em casa.

Espirometria

A espirometria (teste do sopro) analisa a capacidade pulmonar do paciente, onde ele sopra em um bocal conforme a orientação do enfermeiro e um software obtêm os dados de seu desempenho.

É comum para verificar doenças como asma e enfisema, sendo enviados diretamente ao pneumologista para realizar o laudo.

MAPA

O MAPA (Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial) realiza um panorama a respeito do comportamento da pressão sanguínea durante o dia.

Se trata de um monitoramento 24 horas, onde é verificado causas de doenças como hipo ou hipertensão.

É possível também realizar diagnósticos com esse exame, onde o braço do paciente recebe um manguito.

Esse manguito faz as medições durante o dia e envia todos os dados a um monitor (que pode ser o notebook).

Holter

O eletrocardiograma com holter permite avaliar o ritmo cardíaco de um paciente por um tempo mais longo.

É utilizado somente quando é necessário avaliar ao menos 24 horas, não menos que isso.

Assim como o ECG, também são fixados eletrodos no peito do paciente, para realização do exame.

Uma das diferenças entre o holter e o eletrocardiograma é que esses eletrodos são ligados a um monitor, colocado na cintura do paciente.

No holter, esse monitor fica armazenando todas informações coletadas pelos eletrodos, para após o tempo necessário, haver uma análise durante o período de tempo que o exame foi realizado.

Vantagens do home care com a telemedicina

Ambas áreas são complementarem e contam com diversos benefícios quando unidas.

Esses benefícios não são apenas para o profissional de saúde, como também para o próprio paciente home care.

Confira as vantagens de utilizar ambas áreas juntas:

Rapidez

Em comparação a exames em locais físicos, o exame fica pronto com o laudo de forma muito mais rápida.

Na telemedicina, os profissionais de saúde acessam uma plataforma, onde há exames que necessitarão de laudo.

Assim, o profissional revisa o exame e realiza o laudo final, lembrando que é necessário que o profissional conte com Assinatura Digital e também certificação digital.

O exame com laudo pode ficar pronto em minutos, horas ou em dias, dependendo da plataforma escolhida e da urgência do exame.

Em laboratórios, nem sempre o profissional da saúde está lá para realizar o laudo, levando alguns dias para que o laudo fique pronto, mesmo que o exame saia na hora.

Além disso, também há situações ruins como esperas demoradas, até mesmo em filas para retirada do exame.

Acessibilidade

Por ser feito em casa, o exame é realizado da melhor forma possível: com o conforto do paciente sem sair de casa.

Normalmente pacientes em home care já contam com algumas dificuldades de locomoção, e justamente por isso estão em casa.

Sair com pacientes para exames não é a melhor opção, então realizar os exames em casa é um grande passo.

E também há o fato de que nem todas clínicas possuem um local acessível, com estacionamento, rampas, etc.

Já no lado da telemedicina, tudo é acessível também: sendo feito por meio de plataforma, onde o único requisito ao profissional da saúde é estar conectado a internet.

Desse modo, todo processo se torna mais fácil, tanto para o paciente quanto para o profissional de saúde que irá emitir o laudo.

Um exame “melhor”

Além da acessibilidade do paciente não precisar sair de casa, o exame também é considerado melhor, uma vez que é possível imprimi-lo caso necessário.

Também é levado em consideração que o profissional da saúde terá um exame de alta qualidade, que será bem visualizado.

Isto é, alguns exames são permitidos para serem feitos por enfermeiros e eles são diretamente conectados ao notebook ou computador dele.

Assim, a resolução da imagem é preservada, diferente de impressões em papéis que podem perder alguma definição.

Além disso, também é possível ampliar a imagem, caso o profissional da saúde desejar visualizar melhor o quadro.

Conclusão

O home care vem crescendo a cada ano que passa e junto a telemedicina se torna uma opção valiosa para esses pacientes.

Unir ambas áreas traz diversos benefícios, como já visto nesse texto e deve ser uma opção a ser considerada pelas empresas home care.

Recentes

Regras para consultório compartilhado: 4 itens para não deixar passar!

Você conhece as regras para consultório compartilhado? O consultório compartilhado pode ser uma...

Quanto custa abrir um consultório odontológico no Brasil?

A prática odontológica é um compromisso organizacional e econômico. O dentista é o seu próprio empregador e isso traz duplo fardo, responsabilidade...

Prontuário do paciente: você está fazendo da maneira certa?

O prontuário do paciente é um dos principais documentos para guiar o trabalho médico e orientar os próximos passos do tratamento indicado...

Relacionados

Regras para consultório compartilhado: 4 itens para não deixar passar!

Você conhece as regras para consultório compartilhado? O consultório compartilhado pode ser uma...

Quanto custa abrir um consultório odontológico no Brasil?

A prática odontológica é um compromisso organizacional e econômico. O dentista é o seu próprio empregador e isso traz duplo fardo, responsabilidade...

Prontuário do paciente: você está fazendo da maneira certa?

O prontuário do paciente é um dos principais documentos para guiar o trabalho médico e orientar os próximos passos do tratamento indicado...

Porque fidelizar clientes sai mais barato que conquistar novos?

Criar um relacionamento duradouro com seus clientes traz muitos benefícios para sua empresa. Em um contexto marcado por acirrada competição e volatilidade...