O que é mobile health e como pode te ajudar

Com o Mobile Health podemos dizer que o futuro chegou. O avanço tecnológico fez chegar a nossas mãos o mobile health, um software que deixa você em contato com seu médico o tempo que precisar.

Devido a essa nova maneira de ofertar serviços em saúde, é possível alcançar pessoas com orientações para o autocuidado e prevenção de doenças, além de colher e monitorar dados para intervenções e tratamento precoce em alguns casos.

Segundo a pesquisadora do IBGE, Adriana Beringuy, em pesquisa divulgada no final de 2018 mostrou que 126,4 milhões de brasileiros estão conectados, o que representa quase 70% da população com 10 anos ou mais. Dentre eles, 98,7% acessam a internet via smartphones.

Beringuy, relata ainda em sua pesquisa, que os idosos foram o grupo que teve um crescimento mais expressivo. Para você entender melhor, no ano da pesquisa o Brasil teve um crescimento de aproximadamente 1 milhão de idosos acima de 60 anos, e os internautas da mesma faixa etária, somaram 2,3 milhões de conectados.

Com a crise sanitária que o mundo atravessa a tecnologia vem em pleno socorro dando o seu melhor para facilitar a vida de muitos, e ferramentas como o mobile health estão cada vez mais em uso.

Nesse artigo você vai saber o que é mobile health e como ele pode te ajudar. Continue conosco.

O que é Mobile Health

Mobile Health é o uso de Internet para oferecer serviços médicos ou de saúde pública e o mecanismo tecnológico usado são os dispositivos móveis, como: smartphones, tablets, sensores e dispositivos vestíveis.

Conhecido como saúde móvel ou m-Health, o mobile health faz parte do segmento da saúde chamado: saúde digital, e-Saúde ou eHealth. Este usa tecnologias de informação e comunicação para difundir seus serviços de saúde.

Através de seus dispositivos móveis, os usuários deste serviço recebem instruções preventivas, e transmitem dados para o controle e monitoramento de doenças crônicas, orientações de tratamento e ainda tem a possibilidade de consultar assistência médica virtual.

No Brasil esse assunto de consulta à distância ainda está em desenvolvimento de uma regulamentação. O Conselho Federal Medicina fez um parecer através da Resolução 2227/18 onde a consulta remota foi liberada, porém por não ter ainda um entendimento foi revogada.

Porém, diante do quadro de crise sanitária que estamos atravessando, o Governo Federal sancionou a Lei 13 989 que foi aprovada pelo congresso, que liberou a teleconsulta durante o país atravessa a pandemia do COVID-19.

Art. 1º Esta Lei autoriza o uso da telemedicina enquanto durar a crise ocasionada pelo coronavírus (SARS-CoV-2).

Art. 2º Durante a crise ocasionada pelo coronavírus (SARS-CoV-2), fica autorizado, em caráter emergencial, o uso da telemedicina.

Parágrafo único. (VETADO).

Art. 3º Entende-se por telemedicina, entre outros, o exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde.

De toda forma devido o mobile health as consultas remotas tornou-se uma realidade no Brasil.

Desenvolvimento do Mobile Health

A história relata que o epidemiologista bengalês Alain Labrique foi um dos pioneiros de uma revolução em curso na medicina que mudará para sempre a forma como médicos e pacientes gerenciam a saúde.

Ele revolucionou Bangladesh quando usou a tecnologia em apoio a medicina, em entrevista à Revista ISTOÉ,  ele relatou que cerca de 7 mil mulheres morriam todos os anos, durante o período de gestação, por razões simples, que se a região não fosse inóspita, um médico poderia salvar muitas vidas.

O Dr° Labride usou um software de mensagens, por ele acompanhava e aconselhava suas pacientes, evitando que muitas fossem a óbito, esse pode ter sido o começo de uma nova era na saúde pública.

Podemos dizer que o Mobile Health foi acompanhado o desenvolvimento tecnológico, 1994 quando o smartphone começou a ser comercializado, houve uma explosão tecnológica, pois nesse dispositivo móvel temos um mini computador nas mãos.

Assim o smartphone abriu as portas para grandes investidas tecnológicas. O mundo digital começou a correr para caber dentro desses dispositivos móveis pequenos.

Uma tecnologia que traria grande impacto positivo na economia do setor de saúde, e não demorou muito para os aplicativos na área de saúde começarem a ter seu espaço.

Em 2011, a própria Organização Mundial da Saúde divulgou um estudo sobre health mobile, apresentando o segmento como um dos mais promissores para a melhoria e democratização de serviços de saúde.

Pesquisas da Consultoria PwC estimam que no ano de 2016 existia cerca de 165.000 app da área de saúde, disponíveis nos dois principais sistemas operacionais rodados em celulares inteligentes – Android, da Google, e iOS, da Apple.

Crescimento do Mobile Health no Brasil

No Brasil, o mercado do mobile health está em expressiva expansão, mas ainda é incipiente e se concentra em sua maior escala na grande São Paulo. Levantamento da Startup Base mostra que até junho de 2019 o país tinha 389 startups na área da saúde, a maioria ligada à m-health, destas 129 em fase de tração e 98 em operação.

A maioria dessas ferramentas ainda estão na fase de testes e processo de regulamentação. Um bom exemplo das  tecnologias que estão em desenvolvimento são ferramentas que ajudam no controle de estoque e rastreamento de materiais em Centrais de Material e Esterilização (CME) com esse tipo de informação  ajuda a evitar desperdícios ou falta de instrumentos em estoque; um modelo de almofada antiescaras para cadeirantes; e um protótipo de monitoramento cardíaco por meio de um anel que detecta sinais biológicos e os transmite via bluetooth para o celular.

Boa parte destes estudos começam a ser desenvolvidos em universidades e escolas técnicas, que têm impulsionado e estimulado este processo de inovação na área da saúde no país.

Quais os Benefícios do Mobile Health

O Mobile Health pode ter diversas funções, voltado para fortalecer o autocuidado, reunir grandes quantidades de dados, rastrear tendências e estabelecer contato para troca de informações em saúde.

Listamos aqui alguns dos benefícios que destacam o Mobile Health:

  • Suporte telefônico para cuidado em saúde
  • Serviços telefônicos gratuitos de emergência
  • Acompanhamento da adesão ao tratamento
  • Lembretes de compromissos
  • Ações de promoção da saúde e mobilização comunitária
  • Campanhas de educação em saúde
  • Telemedicina móvel
  • Atendimento de emergências em saúde pública
  • Vigilância e monitoramento epidemiológico
  • Monitoramento de pacientes
  • Disseminação de informações
  • Desenvolvimento de sistemas de apoio à tomada de decisão
  • Novas formas de armazenamento de dados clínicos.

A seguir, falo sobre os principais benefícios para médicos, unidades de saúde e pacientes.

Benefícios do health mobile para os médicos

O mobile health facilita o acesso a informações como a CID relativa a uma doença, que antes precisavam ser consultadas em livros ou computadores.

Com essa ferramenta o quadro mudou completamente, com o uso de aplicativos funcionais, por meio dos quais é possível pesquisar sobre CID, algum termo médico, bulas de medicamentos e outros dados importantes, através do uso de dispositivos móveis com acesso a Internet.

Uma outra excelente novidade é a possibilidade de trocar informações com colegas em qualquer parte do mundo, fazendo uso de ferramentas comuns, que por muitos são usados para lazer, como WhatsApp e Skype e apps, mas desta vez desenvolvidos apenas para médicos.

Outro benefício, ao cuidado com a saúde, é o monitoramento remoto de pacientes, viabilizado por wearables como relógios e pulseiras inteligentes, leva à visualização de um histórico mais completo, apoiando diagnósticos assertivos.

Para finalizar nossa lista de benefícios, os médicos podem consultar o Prontuário Eletrônico do Paciente, laudos e outros dados de seu próprio smartphone, realizando recomendações à distância quando necessário.

Quais as vantagens do Mobile Health para você

Hoje o uso dessa tecnologia em equipamentos móveis para garantia da saúde tem se popularizado. Você deve conhecer um equipamento usado por atletas em seus exercícios, trata-se de um relógio inteligente que monitora batimentos cardíacos, pressão arterial e temperatura.

Apesar deste relógio ser muito usado por praticantes de atividades físicas, o uso é cada vez mais difundido, e não impede que qualquer pessoa o use para controlar sua saúde e para acompanhamento  médico quando for necessário. 

Tecnologias do Mobile Health

Conheça a seguir alguns dos benefícios esperados com o uso dessas tecnologias massivamente:

  1. redução dos gastos em saúde: será mais econômico monitorar dados dos pacientes e operar processos médicos, como realização de exames, acompanhamento de resultados e atualização de prontuários;
  1. minimização dos erros médicos: os profissionais da saúde poderão acompanhar não apenas os dados do paciente no consultório como o histórico completo, oferecendo elementos mais detalhados para um diagnóstico e tratamento;
  1. redução de hospitalizações desnecessárias: com a possibilidade de o paciente acompanhar a própria saúde com equipamentos confiáveis, ele não precisará permanecer internado para coletar essas informações, reduzindo a necessidade de internações ou a permanência hospitalar dispensável;
  1. interação entre pacientes e profissionais de saúde: os pacientes e médicos terão canais mais variados para interação, o que garante um suporte de saúde continuado mesmo quando o paciente está em casa ou no trabalho;
  1. monitoramento de pacientes com doenças crônicas: o acompanhamento de doenças crônicas é fundamental para redução da mortalidade e o “mhealth” amplia essas possibilidade com dados confiáveis e em tempo real;
  1. protagonismo do paciente: as pessoas poderão se tornar mais responsáveis pelo acompanhamento da própria saúde, garantindo um acompanhamento contínuo de alterações sensíveis.
  1. Diversidade: atualmente são diversas as tecnologias que podem ser usadas para cuidados com a saúde, como relógios, brincos e pulseiras que monitoram a temperatura e a frequência cardíaca, sapatos que avaliam equilíbrio e movimento, sensores que verificam a glicose e outros.

Esses recursos já têm sido usados, por exemplo, para melhorar a qualidade de vida de pacientes com doenças crônicas como Parkinson, paralisias e lesões.

Esse monitoramento tem agregado à qualidade de vida dos pacientes e otimizado processos gerenciais em farmácias, hospitais e clínicas médicas.

Você agora pode utilizar mais da tecnologia para cuidar de sua saúde, afinal os softwares tem a proposta de facilitar a vida.

Recentes

Regras para consultório compartilhado: 4 itens para não deixar passar!

Você conhece as regras para consultório compartilhado? O consultório compartilhado pode ser uma...

Quanto custa abrir um consultório odontológico no Brasil?

A prática odontológica é um compromisso organizacional e econômico. O dentista é o seu próprio empregador e isso traz duplo fardo, responsabilidade...

Prontuário do paciente: você está fazendo da maneira certa?

O prontuário do paciente é um dos principais documentos para guiar o trabalho médico e orientar os próximos passos do tratamento indicado...

Relacionados

Regras para consultório compartilhado: 4 itens para não deixar passar!

Você conhece as regras para consultório compartilhado? O consultório compartilhado pode ser uma...

Quanto custa abrir um consultório odontológico no Brasil?

A prática odontológica é um compromisso organizacional e econômico. O dentista é o seu próprio empregador e isso traz duplo fardo, responsabilidade...

Prontuário do paciente: você está fazendo da maneira certa?

O prontuário do paciente é um dos principais documentos para guiar o trabalho médico e orientar os próximos passos do tratamento indicado...

Porque fidelizar clientes sai mais barato que conquistar novos?

Criar um relacionamento duradouro com seus clientes traz muitos benefícios para sua empresa. Em um contexto marcado por acirrada competição e volatilidade...